Páginas

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

ABSURDO


COPA SEM DIREITOS NÃOAssociados e apoiadores do Idec, 

A Fifa acha que está acima das leis brasileiras. O governo não pode aceitar as suas imposições. Segundo o próprio ministro do Esporte, Orlando Silva, “a Fifa solicitou que suspendêssemos o Estatuto do Idoso, o Estatuto do Torcedor e o Código de Defesa do Consumidor". 

Isto é um absurdo e nós, torcedores-consumidores, não podemos ficar calados. 

A Fifa está usando a sua autoridade para pressionar o governo brasileiro a aceitar as suas exigências. Os absurdos demandados vão desde a possível suspensão da meia entrada até a demarcação de áreas comerciais exclusivas, prejudicando pequenos comerciantes e economias locais. A agilidade nas negociações mostra que o governo quer aprovar rapidamente a Lei Geral da Copa, antes que haja uma revolta geral contra os abusos. Não vamos ficar quietos! Envie uma mensagem agora para a Fifa e para o governo brasileiro: 

www.idec.org.br/campanhas/copasemdireitosnao 

Um evento internacional, por maior que seja, não pode justificar o descumprimento da Constituição, a violação de conquistas sociais e a afronta às leis nacionais vigentes. A Lei Geral da Copa omite totalmenteos deveres e responsabilidades da Fifa como fornecedor exclusivo dos ingressos, expondo duramente o torcedor-consumidor a abusos de consumo. Veja como seremos prejudicados: 

  • Possível anulação da meia entrada para estudantes e idosos;
  • Fim da proteção em caso de cancelamento, devolução e reembolso de ingressos;
  • Ausência de garantias em caso de prejuízos causados ao consumidor;
  • Cancelamentos ou alterações de datas, horários ou assentos sem aviso prévio;
  • Liberação da venda casada de ingressos em forma de pacotes - prática comercial abusiva;
  • Fim do direito de arrependimento da compra do ingresso pela internet;
  • Criação de áreas exclusivas de exploração comercial da Fifa na cidade;
A Fifa tem um recorde negro do seu legado nos países sede da Copa. Na África do Sul, centenas de milhares de trabalhadores entraram em greve contra abusos trabalhistas. O monopólio comercial impediu que os benefícios dos eventos fossem revertidos para a economia local. E aqui mesmo no Brasil já estamos vendo as violações resultantes das remoções forçadas, com indenizações ínfimas e sem qualquer garantia de moradia. Agora, com a Lei Geral da Copa, a Fifa quer controle total. 

Vamos deixar claro que: Copa sem direitos não dá jogo! Envie uma mensagem agora: 

www.idec.org.br/campanhas/copasemdireitosnao 

Por todos os torcedores-consumidores, 

A equipe do Idec 

PS: Se você quer contribuir com a divulgação ou as ações dessa campanha, escreva para campanhas@idec.org.br
 
Saiba mais: 
Idec envia carta a Dilma Rousseff com críticas sobre Lei Geral da Copa:
http://www.idec.org.br/emacao.asp?id=2841 

Exigências da Fifa violam direitos dos consumidores brasileiros:
http://esportes.r7.com/futebol/noticias/exigencias-da-fifa-para-a-copa-violam-direitos-do-consumidor-brasileiro-20111005.html 

Grupo envia carta a Dilma contra superpoderes da Fifa:
http://esportes.terra.com.br/futebol/brasil2014/noticias/0,,OI5391302-EI10545,00-Grupo+envia+carta+para+Dilma+contra+superpoderes+da+Fifa.html 

Idec: Projeto de Lei Geral da Copa descumpre “garantias constitucionais”
http://globoesporte.globo.com/futebol/copa-do-mundo/noticia/2011/10/idec-projeto-de-lei-geral-da-copa-descumpre-garantias-constitucionais.html 

Para entidade, Lei Geral da Copa 'invalida' Código de Defesa do Consumidor:
http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,para-entidade-lei-geral-da-copa-invalida-codigo-de-defesa-do-consumidor,780764,0.htm
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário