Páginas

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Papel de plasma mata todos os tipos de bactérias Redação do Site Inovação Tecnológica

Papel de plasma mata todos os tipos de bactérias

Papel de plasma mata todos os tipos de bactérias
O plasma gerado no papel mata os microrganismos de uma superfície em 10 segundos. [Imagem: Jingjin Xie]
Papel bactericida
Imagine usar aventais e outros acessórios, ou mesmo uma roupa inteira, que o proteja das mais perigosas bactérias.
Isto está próximo da realidade graças a uma técnica barata e eficaz de matar bactérias e esterilizar superfícies usando plasma gerado em guardanapos especiais feitos de papel.
"O papel é um material antigo, mas tem propriedades únicas para novas aplicações de alta tecnologia. Nós descobrimos que, aplicando uma alta tensão em pilhas de folhas com papel metalizado, é possível gerar plasma, que é uma combinação de calor, radiação ultravioleta e ozônio - e que que mata micróbios," conta o professor Aaron Mazzeo, da Universidade de Rutgers, nos EUA.
A motivação da equipe era criar equipamentos de proteção pessoal para lidar em situações críticas, como no surto de ebola em 2014 na África Ocidental, protegendo os profissionais e cuidadores e ajudando a conter a propagação de doenças infecciosas.
Plasma em papel
A invenção consiste em finas camadas de papel superpostas a folhas de papel alumínio, nas quais são traçados padrões em forma de hexágonos que servem como eletrodos para produzir o plasma, ou gás ionizado. A natureza fibrosa e porosa do papel permite que o gás o permeie, alimentando o plasma e facilitando a refrigeração do sistema.
"Tanto quanto sei, somos os primeiros a usar papel como base para gerar plasma," comentou Jingjin Xie, responsável pela descoberta.
Nos experimentos, o papel de plasma matou mais de 99% da Saccharomyces cerevisiae (uma espécie de levedura) e mais de 99,9% das bactérias E. coli.
A equipe espera que artefatos esterilizantes à base de papel possam ser incorporados em roupas que se esterilizam automaticamente, guardanapos que eliminem microrganismos de equipamentos de laboratório e até curativos à prova de infecções.
A próxima fase da pesquisa será testar exaustivamente o papel de plasma para confirmar sua eficácia contra os esporos dos microrganismos, que são particularmente difíceis de eliminar. Também serão necessários mais testes para verificar a segurança do plasma incorporados em dispositivos de vestir.

Bibliografia:

Paper-based plasma sanitizers
Jingjin Xie, Qiang Chen, Poornima Suresh, Subrata Roy, James F. White, Aaron D. Mazzeo
Proceedings of the National Academy of Sciences
Vol.: 114 no. 20, 5119-5124
DOI: 10.1073/pnas.1621203114

Nenhum comentário:

Postar um comentário