Páginas

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Assine para não deixar que deputados destruam o sistema de aposentadoria no Brasil

Assine para não deixar que deputados destruam o sistema de aposentadoria no Brasil

Elisete C Santos 
Guaruja
Não à Mentira da Previdência Deficitária! Pela não Aprovação da Reforma da Previdência (Pec 287/16)
O Governo Federal tem feito propaganda massiva de que a Previdência Social é deficitária, e com isso, pretende condenar o povo brasileiro a trabalhar até por volta de 70 anos de idade para ter direito à aposentadoria integral.
Diversos estudos, incluindo o da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (ANFIP) comprovam que a Previdência Social não é deficitária.
Por outro lado, em diversos países desenvolvidos, as pessoas recebem educação financeira desde cedo e aprendem a investir suas economias de forma a se aposentar sem depender da previdência social.
Acabar com a Previdência Social seria uma forma de forçar o brasileiro a desenvolver o hábito de investir em títulos públicos, CDBs, RDBs, fundos imobiliários, ações, dentre outros para poder usufruir da aposentadoria. Isto não só faria o pais crescer economicamente como, talvez, seria mais lucrativo para o próprio trabalhador. Porém, seria apenas para as gerações futuras que começasse, nos primeiros anos de trabalho, a poupar e investir.
O preço dessa medida drástica, destruir a previdência social, é condenar o trabalhador atual a trabalhar praticamente até morrer ao invés de se aposentar!
Além disso, de imediato, as empresas de Previdência Privada seriam amplamente beneficiadas porque aumentariam estratosfericamente seus lucros. Não por acaso, o autor da atual reforma da previdência teria interesse direto na aprovação da reforma, já que é conselheiro de uma das maiores empresas de Previdência Privada do país, a BrasilPrev, do Banco do Brasil.
Por tudo isso, os associados da Associação dos Servidores Públicos do Estado de São Paulo- AFPESP, seus familiares e sociedade em geral pedem aos Deputados e Senadores que não aprovem a reforma da Previdência proposta na PEC 287/2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário