Páginas

terça-feira, 30 de junho de 2015

Em discurso, Lula assume ser o responsável por obras que desviaram bilhõ...

Brahma e a mandioca presidento. Coisa e criatura. #comunismonão#abaixooComunismo#ForaSocialistas#ForaForo#ForaDilma #ForaLula#ForaPT. #AbaixooComunismo. Curta e Faça parte da OCC Alerta Brasil OCC - Organização de Combate à Corrupção Siga-nos no Twitter https://twitter.com/occ2013 Google+: https://plus.google.com/113541204460576930973 H@H

Gramsci (Antonio Gramsci – 1891-1937), filósofo e militante comunista italiano – inconformado com a influência da Igreja Católica sobre a sociedade de seu tempo (italiana) se dispôs a fazer do marxismo algo parecido que para ele deveria enraizar a doutrina marxista na alma dos homens. A estratégia perversa da reconfiguração comunista na concepção de Gramsci - é influenciar diretamente as pessoas em seu âmbito emocional e da imaginação, o que aplicado às crianças que ainda não têm desenvolvido o sentido crítico, pelos manipuladores comunistas podem subliminarmente influenciar suas mentes e prepará-las para o comunismo, o que é feito de forma perversa, silenciosa e insidiosamente, porém de forma constante, substituindo na mente dos jovens todos os VALORES que lhe foram inculcados na família por seus pais e pela sociedade. #SomosTodosMoro e #LulanaCadeia #comunismonão#abaixooComunismo#ForaSocialistas#ForaForo#ForaDilma #ForaLula#ForaPT. #AbaixooComunismo. Curta e Faça parte da OCC Alerta Brasil OCC - Organização de Combate à Corrupção Siga-nos no Twitter https://twitter.com/occ2013 Google+: https://plus.google.com/113541204460576930973 http://occalertabrasil.blogspot.com.br/…/enquanto-se-esface… H@H

Ronaldo Caiado

Oposição vai protocolar representação contra Dilma e Edinho Silva por crime de extorsão

Para Caiado, acusações de dono da UTC são suficientes para afastamento da presidente e convocação de novas eleições
AjMfAoa2Iv1dSZtw8H6U-iOu4JhIS3Tx96OHa8CfsekrAo anunciar hoje (30/6) novas representações contra o governo, o líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado (GO), defendeu o afastamento imediato de Dilma Rousseff e a convocação de novas eleições para a Presidência da República. A afirmação foi feita após reunião entre presidentes de partidos e líderes da oposição.
Os parlamentares informaram que irão protocolar representação na Procuradoria-Geral da República contra o ministro da Comunicação Social e ex-tesoureiro da campanha de Dilma, Edinho Silva, e contra a própria presidente por crime de extorsão. A ação é baseada nas denúncias do dono da UTC, Ricardo Pessoa, que revelou a doação para campanha do PT com dinheiro roubado da Petrobras. A oposição ainda vai entrar com representação no TCU por conta das “pedaladas fiscais” que continuam a ocorrer em 2015, além do pedido ao TSE de compartilhamento da delação de Pessoa.
“É evidente o quadro de ingovernabilidade hoje no País. Ninguém quer isso mais. Todo mundo está atônito e não é justo que todas as forças políticas e a pressão de um governo seja exercida no sentido de manter uma presidente que não tem credenciais para representar a população”, ponderou Caiado.
Caiado acredita que a atitude mais correta para a presidente seria a renúncia, mas, caso isso não ocorra, as graves acusações de Pessoa são suficientes para que as oposições peçam o afastamento de Dilma Rousseff do cargo. “Com esse fato fica cada vez mais nítido a necessidade de avançarmos. Lógico, seria melhor se tivéssemos da presidente da República um gesto de espírito público, de uma renúncia do mandato. Mas, não sendo possível isso, diante da delação do empresário Ricardo Pessoa, ficou claro o quadro de extorsão e da metodologia aplicada pelo PT para utilizar o Estado como máquina e aparelho de governo. Isso é mais do que suficiente para o afastamento da presidente e a convocação de novas eleições. Até porque o caixa de campanha compromete toda a chapa e, como tal, caindo a chapa, nós teremos a antecipação das eleições para presidente”, argumentou.
Explicações
Caiado também conseguiu aprovar nesta terça-feira um convite ao ministro Edinho Silva (Comunicação Social) para comparecimento à Comissão de Fiscalização e Controle da Casa. A audiência deve servir para cobrar explicações de Edinho em relação à citação ao seu nome na delação premiada que o coloca chantageando o dono da UTC, Ricardo Pessoa. Na ocasião, Edinho Silva era o tesoureiro da campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff.

PSDB

PSDB - Social DemocraciaFilie-se ao PSDB
Destaques do site

"Trocando as bolas", análise do ITV

A primeira reação é achar que Dilma não está bem da bola

"Uma mente confusa", por Merval Pereira

Tentar pôr pecha de traidor em Pessoa piora as coisas

Arthur Bisneto defende ZFM

Participação na 1ª sessão da "Câmara Itinerante" no AM

Prazo de validade do governo Dilma venceu e presidente deveria renunciar, defende Nilson Leitão

"Ela já terceirizou toda a parte política e econômica"
Leia mais notícias +

PSDB nas Redes Sociais

Facebook

Oposição a favor do Brasil

  

Twitter

@Rede45:Aécio: Oposição denunciará Dilma à PGR por crime de extorsão

Dilma ofende companheiros da luta democrática ao comparar presos políticos com corruptos

Aécio: "Devem estar mais atônitos do que nós com essa comparação"

Entrevista coletiva do presidente nacional do PSDB

Representação na PGR contra a presidente Dilma e ministro Edinho

PSDB lança site e campanha de mobilização "Oposição a favor do Brasil"

Para conhecer, acesse a páginahttps://oposicaoafavordobrasil.com.br/

Tucanos criticam presidente por tentar desqualificar delação premiada de empreiteiro

Parlamentares do PSDB protestaram contra a declaração da petista

Petrobras cometeu crime ao omitir investigação sobre propina com holandesa

Declaração de Imbassahy foi feita durante audiência pública

Nota do presidente do PSDB-SP, deputado estadual Pedro Tobias

Repúdio à tentativa de envolver nome de Aloysio ao escândalo da Petrobras

Demandas de brasileiros residentes no exterior são temas de audiência

Em pauta, as providências tomadas para a execução do plano de ação

PL facilita vida das empresas com adoção do registro eletrônico de atos societários

Iniciativa é do deputado federal Alexandre Baldy (PSDB-GO)

Depois do falatório da presidente em Washington, a lama que estava na linha de cintura chegou à altura do pescoço

 CRISTALVOX


 CRISTALVOX

Depois do falatório da presidente em Washington, a lama que estava na linha de cintura chegou à altura do pescoço

by Leudo Costa
Por AUGUSTO NUNES
A lama do Petrolão chegou à linha de cintura de Dilma Rousseff depois do que disse o empreiteiro Ricardo Pessoa. Alcançou a altura do pescoço presidencial depois do que o neurônio solitário resolveu dizer em Washington.
Quando não se sabe o que fazer, melhor não fazer nada, repetia Dom João VI. Dilma faz declarações destrambelhadas. E sempre consegue piorar o que está péssimo, confirmam três momentos do falatório desastroso:
1. “Eu não respeito delator. Até porque eu estive presa na ditadura e sei o que é. Tentaram me transformar em uma delatora”.
A primeira frase informa que Dilma — a exemplo de Marcola, chefão do PCC — só respeita criminosos que escondem as bandidagens que cometeram e a identidade dos mandantes ou comparsas. Gente como João Vaccari Neto e Renato Duque, por exemplo. A segunda frase sugere que Dilma não enxerga diferenças entre o governo que preside e o chefiado pelo general Emílio Médici nos anos 70. A terceira insinua  que os quadrilheiros presos em Curitiba têm sido submetidos a selvagens sessões de tortura.
2. “Eu não aceito e jamais aceitarei que insinuem sobre mim ou a minha campanha qualquer irregularidade. Primeiro porque não houve. Segundo, se insinuam, alguns têm interesses políticos.”
A primeira e a segunda frases informam que Dilma não lembra que promoveu a  larápia Erenice Guerra em melhor amiga, braço direito e depois sucessora na chefia da Casa Civil; que nem sequer ouviu falar do dossiê forjado para caluniar Fernando Henrique e Ruth Cardoso; que nunca participou das reuniões do Conselho Administrativo da Petrobras que presidiu; que não sabe quem é Lina Vieira; que não ajudou a transformar o ministério num viveiro de corruptos; que conhece só de vista o amigo de infância Fernando Pimentel; que o nariz que se mete em tudo só não consegue sentir cheiro de corrupção.
3. “Há um personagem que a gente não gosta, porque as professoras nos ensinam a não gostar dele. E ele se chama Joaquim Silvério dos Reis, o delator”.
As duas frases informam que, para a Doutora em Nada, o Petrolão é a Inconfidência Mineira do Brasil moderno, com Ricardo Pessoa no papel de Joaquim Silvério dos Reis. Lula, claro, é Tiradentes. Dilma é Marília de (José) Dirceu. Os verdugos a serviço da Coroa portuguesa são o juiz Sérgio Moro, os procuradores federais que atuam no caso, os policiais federais engajados na Operação Lava Jato, a elite golpista, a imprensa reacionária e FHC.
Nesta segunda-feira, Dilma tentou candidatar-se a sucessora de Madre Teresa de Calcutá. Acabou transformando em certeza absoluta a suspeita encampada por 10 em 10 habitantes do país que pensa: na melhor das hipóteses, a presidente da República foi cúmplice e coiteira da quadrilha que consumou a maior ladroagem ocorrida desde o Dia da Criação.
DILMINHA
Leudo Costa | 29 de junho de 2015 às 10:39 pm | Categorias: Política | URL:http://wp.me/p5EbWk-1lU

QUÁ QUÁ QUÁ

 CRISTALVOX

DILMA E OBAMA EM JANTAR DE GALA….. QUÁ QUÁ QUÁ

by Leudo Costa
A televisão brasileira noticiou que Obama ofereceu um "jantar de gala" a Dilma Rousseff.
Missão civilizatória de O Antagonista: não existe jantar de gala para vinte convidados.
jantar de gala
Leudo Costa | 30 de junho de 2015 às 9:29 am | Categorias: Política | URL: http://wp.me/p5EbWk-1m1

JUSTIÇA CRIMINAL

 CRISTALVOX

DOUTOR MLTON PIRES NÃO “SURROU” MÉDICA NA CTI DO CONCEIÇÃO, DECIDE JUSTIÇA CRIMINAL

by Leudo Costa
Hoje é um daqueles dias em que o editor do Cristalvox deixa o jornalista de lado e vira um menino no primeiro dia de atuação como advogado. A escolha que fez, atuar na área criminal era, é e será sua missão. Áradua, incompreendida e criticada na maioria da vezes. Mas trabalhar para provar que Milton Pires, médico intensivista do Hopsital Conceição tinha sido "vítima" de uma grande armação política por suas posições firmes contra a quadrilha que "toca e rouba" o Brasil era UMA QUESTÃO DE HONRA... MUITO MAIS QUE ISSO! MOSTRAR QUE NO BRASIL AINDA EXISTEM JUÍZES E LEIS.
milton pires
Milton Pires é casado com uma mulher maravilhosa, companheira, cúmplice e amorosa. Tem dois filhos lindos. Uma história paterna invejável. Seu pai é um dos mais respeitados médicos do Rio Grande do Sul. De repente, o Doutor Milton se vê "jogado na lama",  desmoralizado, humilhado e condenado na Justiça do Trabalho que "acolheu" uma demissão por justa causa, sem antes esperar o julgamento da ação penal para ver se a causa era justa...
A JUSTIÇA CRIMINAL DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL RECONHECEU QUE MILTON PIRES NÃO AGREDIU UMA MÉDICA NO INTERIOR DA CTI DO HOSPITAL CONCEIÇÃO...  Para cada ação, uma reação. De agora em diante, os Doutores Paulo Fetter, Teresinha Matos e Aline Rosa tocarão a milionária ação por dano moral contra o GHC e a médica que falseou a verdade e a consequente anulação da sentença que reconheceu  a INJUSTA CAUSA!
Hoje, dia 30 de junho de 2015 se faz justiça... Sem mais comentários! Eis a sentença..
  1. Circunst. Nº: 5623/2014/100330B – 1ª Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher.
Processo nº:      2.14.0070448-9.
Denunciado:      MILTON SIMON PIRES.
Data:                   19 DE JUNHO DE 2015.
Juiz Prolator:      ARTUR DOS SANTOS E ALMEIDA.
Vistos etc.
O Ministério Público denunciou MILTON SIMON PIRES, imputando-lhe o seguinte fato:
“No dia03  de setembro de 2014, por volta das 16h, na Av. Francisco Trein, 596, Bairro Cristo Redentor, no Hospital Conceição, nesta Capital, o denunciado MILTON SIMON PIRES praticou vias de fato contra a vítima Ana Paula ribeiro Rucks.”
“Na ocasião, o denunciado bateu com seu corpo propositalmente contra o da vítima, ocasionando o que vulgarmente se chama 'encontrão de ombros', na oportunidade em que Ana Paula Ribeiro Rucks estava tentando esquivar-se de Milton Simon Pires no corredor do hospital.”
O denunciado, na defesa prévia, através de seu defensor, sustenta a inexistência do fato e requer a absolvição.
Para a instauração da ação penal é indispensável um mínimo de sustentação probatória, conferindo justa causa para a persecução penal.
No caso, não existe tal substrato.  Acompanhando a denúncia têm-se, exclusivamente, o registro de ocorrência, com a versão unilateral da autora do registro, a vítima.
Com a finalidade de ampliar-se o conjunto de informações a respeito do fato, solicitou-se cópia do Processo Administrativo Disciplinar instaurado contra o denunciado.  Analisando detidamente todos os documentos e depoimentos coletados não é encontrado o substrato necessário para a instauração da ação penal.   Ao contrário, em nenhum dos relatos realizados é referida a existência de violência física praticada pelo denunciado contra a vítima.
Portanto, não havendo sequer indícios da existência do fato narrado na denúncia, não há justa causa para a instauração da ação penal.
ISSO POSTO, rejeito a denúncia oferecida contra MILTON SIMON PIRES, com base no art. 395, III, do Código de Processo Penal.
Com relação ao TC apensado, como não o fato narrado no histórico da ocorrência não foi incluído na denúncia, deduz-se  arquivamento pelo Ministério Público.  Por isso, determino o arquivamento, com baixa, do TC  2.15.0016342-0.
Custas pelo Estado.
Registre-se.
Intimem-se.

Porto Alegre,  19 de junho de 2015.

Artur dos Santos e Almeida,
Juiz de Direito.



Leudo Costa | 30 de junho de 2015 às 12:03 pm | Categorias: Política | URL:http://wp.me/p5EbWk-1m6

JOAQUIM BARBOSA SOBREVOA BRASÍLIA

 CRISTALVOX

FÊNIX JOAQUIM BARBOSA SOBREVOA BRASÍLIA E DIZ QUE DILMA PODE SER RESPOSABILIZADA POR DECLARAÇÕES NOS EEUU

by Leudo Costa
JOAQUIM CRITICA DILMA POR ATACAR BOM FUNCIONAMENTO DA JUSTIÇA 

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa reagiu à fala da presidente Dilma Rousseff, que disse nos Estados Unidos que "não respeita delator". Sob o argumento que delação premiada "é um instituto penal-processual previsto em lei no Brasil", Barbosa disse que Dilma é mal assessorada e que um presidente não pode "'investir politicamente' contra as leis vigentes, minandO ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa reagiu à fala da presidente Dilma Rousseff, que disse nos Estados Unidos que "não respeita delator". Sob o argumento que delação premiada "é um instituto penal-processual previsto em lei no Brasil", Barbosa disse que Dilma é mal assessorada e que um presidente não pode "'investir politicamente' contra as leis vigentes, minando-lhes as bases".
"Caberia à assessoria informar a Presidente que: atentar contra o bom funcionamento do Poder Judiciário é crime de responsabilidade!", afirmou na segunda-feira, 29, Joaquim Barbosa em sua conta no Twitter.
Em uma série de nove mensagens Barbosa criticou a presidente e sua equipe, que estão em visita oficial aos Estados Unidos. Lá, Dilma comentou pela primeira vez as acusações contidas na delação do dono da UTC, Ricardo Pessoa, em que seus ministros Aloizio Mercadante, da Casa Civil, e Edinho Silva, Comunicação Social, são citados. "Zelar pelo respeito e cumprimento das leis do País: esta é uma das mais importantes missões constitucionais de um presidente da República", alertou Barbosa.
O antigo presidente do STF propõe ainda uma reflexão aos seguidores dele na rede social. "Vocês estão vendo o estrago que a promiscuidade entre dinheiro de empresas e a política provoca nas instituições?", questionou o ex-ministro.
Em palestra em São Paulo no meio de julho, Barbosa falou sobre corrupção e protestou contra a "relação umbilical existente entre empresas e Poder Público no Brasil. "Precisamos romper com esse capitalismo de compadres, essa história de não conseguir empreender sem ter uma 'verbinha' do governo".(AE)
Leudo Costa | 30 de junho de 2015 às 12:22 pm | Categorias: Justiça | URL: http://wp.me/p5EbWk-1me

Spotniks

As 5 vezes em que Dilma e o PT acreditaram em delatores

Ontem, durante uma coletiva de imprensa, a presidente Dilma afirmou claramente para a mídia – “eu não respeito delator” – quando questionada sobre as afirmações de Ricardo Pessoa, da UTC, sobre as supostas doações ilegais feitas pela construtora à sua campanha.
Segundo a Revista VEJA, Pessoa teria relatado, durante uma delação premiada, que campanhas de diversos políticos, incluindo a de Lula em 2006 e a de Dilma em 2014, teriam recebido repasses ilegais que somam cerca de 10 milhões de reais.
Na coletiva, realizada em Nova York, Dilma afirmou que, durante a ditadura militar, tentaram transformá-la numa delatora durante o período em que esteve presa. As palavras foram reforçadas por uma postagem em sua página oficial do Facebook, onde reiterou seu descrédito pelas informações delatadas.
O discurso, no entanto, choca-se com suas próprias posições anteriores e com a de seu partido, o PT.
Em 2008, quando ainda era Ministra-Chefe da Casa Civil, Dilma chegou a afirmar, durante uma audiência, que “qualquer comparação, entre a ditadura militar e a democracia brasileira só poderia partir de alguém que não dá valor à democracia brasileira”. A afirmação, entretanto, parece não valer para a comparação realizada pela presidente entre os delatores dos tempos do regime e os do atual período democrático.
Mas a lista de incongruências entre o discurso recente e as pautas levantadas anteriormente pela presidente e pelo próprio PT não param por aí. Em algumas oportunidades, seu partido já defendeu a palavra de delatores, e mais: pediu à justiça que opositores fossem investigados e chamados para delatar.
Aparentemente, Dilma não confia em delatores quando a palavra deles mostra-se contrária a suas bandeiras. Mas tudo muda de figura quando a delação põe em cheque a reputação de algum opositor. Conheça 5 vezes em que isso aconteceu recentemente.

1) DURANTE AS ELEIÇÕES DE 2014, DILMA CITOU UMA DELAÇÃO PARA ATACAR AÉCIO NEVES.

14out2014---a-candidata-a-reeleicao-presidente-dilma-rousseff-pt-e-o-candidato-a-presidencia-aecio-neves-psdb-participam-do-debate-da-band-o-primeiro-do-segundo-turno-das-eleicoes-1413341004119_1920x887
Num dos momentos mais acirrados dos debates presidenciais do ano passado, Dilma não parou para pensar nas delações forçadas da ditadura e citou uma denúncia feita ao Ministério Público Federal pelo delator Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, sobre um esquema de propina envolvendo o PSDB para acusar a candidatura de Aécio Neves:
“O ex-diretor da Petrobras afirmou ao MPF que o ex-presidente do PSDB, Sérgio Guerra, recebeu propina para esvaziar uma CPI da Petrobras. Veja o senhor que é muito fácil o senhor ficar fazendo denúncias. Por isso é que eu digo que o que importa, candidato, quando a gente verifica que o PSDB recebeu propina para esvaziar uma CPI, o que importa, candidato? Importa investigar!”, disse.
Dessa vez, ela resolveu acreditar nos delatores.

2) EM FEVEREIRO, UM DEPUTADO PETISTA PEDIU QUE A CÂMARA OUVISSE DENÚNCIAS FEITAS POR UM DELATOR CONTRA JOSÉ AGRIPINO.

Senador-José-Agripino-2-Foto-Mariana-Di-Pietro
No dia 24 de fevereiro, o deputado petista Valmir Prascidelli apresentou um requerimento à Comissão de Viação e Transportes da Câmara solicitando a convocação do empresário George Olímpio para ser ouvido na Comissão.
A presença do empresário foi solicitada por conta de sua delação ao Ministério Público do Rio Grande do Norte, quando denunciou um esquema de propina envolvendo o Detran e José Agripino, senador pelo DEM e ex-coordenador de campanha de Aécio Neves.
Pelas denúncias de Olímpio, o senador, junto com outros políticos do PSB, teriam exigido pagamentos superiores a R$ 1 milhão para que sua empresa continuasse operando o serviço de inspeção veicular no estado. O pagamento da propina teria sido aceito pelo empresário, o que culminou em sua prisão.

3) EM MARÇO, A BANCADA DO PT PEDIU QUE AÉCIO NEVES FOSSE INVESTIGADO NA LAVA JATO, POR CONTA DAS DELAÇÕES DE YOUSSEF.

Alberto Youssef
As bancadas federal e estadual do PT de Minas Gerais querem que Aécio Neves seja investigado na Operação Lava Jato. O motivo? Ligações apontadas pelo doleiro Alberto Youssef entre o tucano e um esquema de corrupção na Furnas Centrais Elétricas, durante sua delação premiada.
Num vídeo vazado de sua delação, o doleiro disse ter ouvido rumores de que o senador tucano estaria envolvido num escândalo de desvio de dinheiro da Furnas, mas não foi capaz de confirmar os boatos.
Mesmo assim, as bancadas do Partido dos Trabalhadores levaram em março um pedido à Procuradoria Geral da República para que o tucano fosse investigado na Lava Jato. Apesar dos apelos, o nome de Aécio não foi incluído na Operação por falta de provas.

4) EM MAIO, O PARTIDO DOS TRABALHADORES PEDIU DELAÇÃO SOBRE O CARTEL DO METRÔ DE SÃO PAULO.

O deputado federal Rodrigo Garcia toma posse nesta segunda-feira, no Palácio dos Bandeirantes
Será que Dilma não acredita no Cartel do Metrô em São Paulo? Pois políticos do PT paulista querem que a investigação vá mais a fundo… através de delações.
Em maio, líderes partidários afirmaram que pretendem pressionar a Procuradoria-Geral de Justiça para que as denúncias sobre o cartel sejam aprofundadas através de delações, que até o momento não foram usadas nas investigações. O caso do metrô atinge diretamente Geraldo Alckmin e o PSDB paulista, que operou as obras entre 1998 e 2008, período em que houve a denúncia de formação de cartel.
Ao que tudo indica, se as investigações sobre o cartel continuarem, só restará à presidente ir contra o próprio partido e negar o escândalo de corrupção tucano. Ou se retratar sobre o que disse ontem – e aí, confirmar que o dinheiro de sua campanha era ilegal.

5) EM 2013, FOI DILMA QUEM SANCIONOU A LEI DAS DELAÇÕES.

dilma-855905
Dilma não respeita delatores? Ou não respeitava?
Pois em agosto de 2013, a presidente sancionou a Lei 12.850 que prevê, nada mais, nada menos, que as delações como um instrumento investigativo. No Artigo 4º, a lei é clara:
“O juiz poderá, a requerimento das partes, conceder o perdão judicial, reduzir em até 2/3 (dois terços) a pena privativa de liberdade ou substituí-la por restritiva de direitos daquele que tenha colaborado efetiva e voluntariamente com a investigação e com o processo criminal.”
Nos artigos seguintes, a Lei detalha como ocorrerão as colaborações e dá detalhes sobre a identidade do delator, além de limitar o acesso às informações.
Por algum motivo, a mesma Dilma que sancionou a Lei referida, hoje se desfaz dos beneficiados pelo instrumento legal. Mesmo assim, não perde a chance de usá-la quando o assunto é denunciar a oposição. Nessas horas, ela vê, num mesmo peso nas balanças da justiça, valores diferentes. Depende da presença ou não da estrela de seu partido nas delações.