Páginas

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

CBN - Arnaldo Jabor - O brutal crescimento da crueldade no Brasil

CBN - Arnaldo Jabor - O brutal crescimento da crueldade no Brasil

BLUETOOTH NO CÉREBRO.

Implante neural funcionará como bluetooth do cérebro

Com informações do IFSC - 30/08/2012
Implante neural funcionará como bluetooth do cérebro
A ideia dos pesquisadores brasileiros é manter a precisão dos chips neurais, mas eliminar qualquer necessidade de conexão física entre o chip e o exterior - essencialmente, um sensor neural wireless. [Imagem: ICMC/www.biodigitalhuman.com]
Inteligência biológica
A maneira como o corpo humano tem-se mostrado compatível com a evolução tecnológica tem sido descrita pelos cientistas como uma espécie de "inteligência biológica".
Por exemplo, como o organismo é capaz de absorver substâncias estranhas e incorporá-las, como se dele fizessem parte.
Os implantes de titânio, elemento químico da família dos metais, revolucionaram os tratamentos dentários há quinze anos. Os polímeros, usados também há algum tempo para encapsular diversos medicamentos que ingerimos, são aceitos pelo nosso corpo sem nenhuma rejeição ou efeito colateral.
Mas esses exemplos e esses materiais já soam um tanto prosaicos se comparados com a ambição de um time de várias universidades, coordenado por pesquisadores do Instituto de Física de São Carlos, da USP.
Eles pretendem nada menos que implantar um chip no cérebro que seja capaz de enviar sinais do córtex motor para um dispositivo fora do corpo, abrindo a possibilidade de devolver os movimentos a membros do corpo humano sem funcionamento.
Interface neural implantável
Já são comuns os experimentos de equipamentos "controlados com o poder da mente", de próteses robotizadas até cadeiras de rodas e computadores.
A "leitura dos pensamentos" - para detectar a intenção do usuário e acionar o equipamento - é feita por meio de chips neurais ou de sensores eletromagnéticos usados externamente, na forma de um capacete. Estes não são tão precisos, enquanto aqueles são muito invasivos.
A ideia dos pesquisadores brasileiros é manter a precisão dos chips neurais, mas eliminar qualquer necessidade de conexão física entre o chip e o exterior - essencialmente, um sensor neural wireless, capaz de ler os impulsos nervosos diretamente dos neurônios e transmiti-los para o equipamento externo a ser controlado por meio de ondas de rádio.
O projeto conta com um chip já com uma antena integrada, criando um dispositivo conhecido como interface neural implantável - algo que pode, segundo a equipe, ser entendido metaforicamente como um bluetooth do cérebro.
Implante neural funcionará como bluetooth do cérebro
Imagem ilustrativa da Interface Neural Implantável, que será fabricada com carbeto de silício. [Imagem: Mário Alexandre Gazziro]
Carbeto de silício
O material eleito para a criação dessa interface neural é o carbeto de silício (SiC).
Embora o carbeto de silícioseja considerado uma espécie de primo pobre do silício, o material apresenta biocompatibilidade e possui propriedades semicondutoras e, ao mesmo tempo, cerâmicas, sendo três vezes mais flexível e resistente do que o silício.
O professor Stephen Saddow testou vários materiais antes de optar pelo carbeto de silício.
O primeiro candidato natural foi o silício, mas o material só conseguiu permanecer em um organismo por alguns meses.
A segunda tentativa foi encapsular o silício com cerâmica. Porém, alguns anos depois, a rejeição das células humanas ao material levou ao insucesso. "Pessoas não podem fazer cirurgias no cérebro a cada cinco anos. Primeiro, porque, a cada cirurgia, tecidos do cérebro são mortos e danificados. Segundo, porque elas não terão condições de arcar com esse custo", justifica Stephen.
Com o SiC, entretanto o cenário é outro. Experiências em seres humanos ainda não foram feitas, mas nos testes in vitro - feitos com células de seres humanos, analisadas em placas de Petri, os resultados com o carbeto são animadores.
"Até o momento, não houve reação ao SiC. Se compararmos com o tempo de resposta dos outros materiais testados, como o silicone, a rejeição química das células humanas ocorreu em alguns dias. A experiência com o SiC foi feita há um mês e até o momento não houve nenhuma reação química às células", comemora Stephen. "Mesmo que um mês não sejam 15 anos, essa primeira resposta é muito promissora".
Economizando energia no cérebro
Outro fator crítico no desenvolvimento da interface cerebral sem fios é o consumo de energia.
Se, de um lado, quanto maior é a quantidade de eletrodos, melhor é a precisão dos movimentos realizados, por outro mais eletrodos representam maior consumo.
Segundo o professor Mário Alexandre Gazziro, o ideal seriam 100 eletrodos para diversos graus de liberdade, enquanto com 1.000 eletrodos é possível reproduzir os graus de movimento complexos de uma mão, com todas as articulações dos dedos.
"Vamos começar com três eletrodos, possibilitando movimentos com poucos graus de liberdade," diz Gazziro. Depois, com o avanço do trabalho, "a redução do consumo de energia permitirá a inclusão de mais eletrodos, sendo que esse será sempre um fator a otimizar na interface [neural]."
O projeto tem duração prevista de cinco anos, embora as aplicações práticas da interface neural sem fios devam demorar mais.
"Minha esperança é que consigamos fechar os testes com humanos em seis anos. Se atingirmos essa meta, o chip irá para o mercado mais rapidamente," disse o professor Stephen. "Para que as Interfaces Neurais Implantáveis estejam no mercado, a previsão mais realista é de dez a vinte anos."
Mas, para aqueles que até hoje só puderam acompanhar na ficção a recuperação de movimentos, em princípio irreversíveis, já há algum motivo para comemoração. Ao que tudo indica, a espera valerá a pena.
Inovação Tecnológica.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

CBN - Arnaldo Jabor - As doenças do povo brasileiro

CBN - Arnaldo Jabor - As doenças do povo brasileiro

AVAAZ

Caros amigos, 



Em 48 horas, minha jovem filha estará diante da corte no Paquistão, acusada pela lei da blasfêmia -- uma lei que pune com sentença de morte. Minha menina inocente teve que lidar durante toda a sua vida com uma deficiência mental e não deve ser punida. Eu peço que ajudem a salvar minha filha. Assine essa petição para o presidente Zardari em apoio ao meu pedido de proteção das minorias religiosas: 

Sign the petition
Na semana passada, uma multidão enfurecida ameaçou queimar minha filha viva, e em 48 horas um juiz vai decidir se ela será solta ou se será mantida na prisão. Rimsha é menor de idade e tem deficiência mental. Ela frequentemente não tem controle sobre suas próprias ações. Ainda assim, a polícia local aqui no Paquistão acusou-a de profanar o Alcorão, e desde então tememos pela sua vida. 

Nesse exato momento, minha filha está presa em uma cadeia de segurança máxima, e em algumas horas será julgada diante da corte do Paquistão por blasfêmia, cuja sentença vinculante é a pena de morte. Somos uma família cristã pobre enfrentando a fúria de uma multidão com o caso da minha filha. Muitas outras famílias já passaram pelo mesmo tipo de intimidação, o que lhes levou a fugir ou viver com medo. Mas a atenção internacional sobre o caso de Rimsha motivou os líderes muçulmanos paquistaneses a se pronunciarem contra essa injustiça e chamaram a atenção do presidente Zardari. 

Por favor ajude-me a manter a pressão global sobre o caso da minha filha. Eu peço que assinem minha petição para o presidente Zardari salvar Rimsha e exigir proteção para nós e para outras famílias de minoria vulnerável. A Avaaz compartilhará essa campanha com a mídia local e internacional, lida com atenção pelos políticos locais paquistaneses: 

http://www.avaaz.org/po/pakistan_save_my_daughter/?bobnybb&v=17473 

Uma multidão enfurecida exigiu a prisão da minha filha após um imã local (líder religioso) começar a incitar as pessoas contra ela, dizendo que ela havia profanado o Alcorão. Então, algumas pessoas ameaçaram acabar com a vida dela e queimar as casas dos cristãos em nossa comunidade. Eu rezo para que durante o seu julgamento, no sábado, as acusações contra ela sejam retiradas e que ela possa voltar a viver conosco

Nossa família está correndo grave perigo, pois mesmo falar sobre as leis de blasfêmia no Paquistão coloca vidas em risco -- no ano passado, o Ministro paquistanês de Assuntos de Minorias foi morto por ter solicitado a remoção da pena de morte na lei de blasfêmia. É uma situação tão sensível que muitos dos nossos vizinhos cristãos das favelas de Islamabad começaram a fugir de casa. 

Nós respeitamos os direitos religiosos das outras pessoas. Esperamos que nossa filha e nossa comunidade fique em segurança, e queríamos que isso nunca tivesse acontecido. Para nossa felicidade, o Ulema Council, um grupo de cléricos e acadêmicos muçulmanos aqui no Paquistão, se pronunciou sobre o caso dizendo: "Não queremos ver uma injustiça acontecer com ninguém. Vamos trabalhar para acabar com esse clima de medo." Com sua ajuda, nós podemos não apenas libertar Rimsha, mas fazer deste incidente o início de uma maior compreensão entre comunidades no Paquistão. Eu peço que assine essa petição e compartilhe com seus amigos. 

http://www.avaaz.org/po/pakistan_save_my_daughter/?bobnybb&v=17473 

Com esperança e determinação, 

Misrek Masih e a equipe da Avaaz 

PS: Essa petição foi criada usando o site Petições da Comunidade da Avaaz, que permite que qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo, inicie um petição sobre assuntos que lhe são importantes. Comece sua própria petição clicando aqui: http://www.avaaz.org/po/petition/start_a_petition/?bv17473 


MAIS INFORMAÇÕES: 

Criança detida por blasfémia no Paquistão (Público)
http://www.publico.pt/Mundo/crianca-detida-por-blasfemia-no-paquistao-1559711 

Anistia: Paquistão deve proteger menina detida por blasfêmia (Exame)
http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/anistia-paquistao-deve-proteger-menina-detida-por-blasfemia 

Presidente do Paquistão pede relatório sobre jovem cristã acusada de blasfêmia (IG)
http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2012-08-20/presidente-do-paquistao-pede-relatorio-sobre-jovem-crista-acusada-de-blasfemia.html 

Imã acusa menina paquistanesa por queimar versos do Alcorão (Terra)
http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI6100730-EI8143,00-Ima+acusa+menina+paquistanesa+por+queimar+versos+do+Alcorao.html 

Garota cristã acusada de blasfêmia no Paquistão pode ser analfabeta (G1)
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/08/menina-crista-acusada-de-blasfemia-no-paquistao-pode-ser-analfabeta.html 

Médicos confirmam incapacidade mental de menina cristã (Veja)
http://veja.abril.com.br/noticia/internacional/medicos-confirmam-incapacidade-mental-de-menina-acusada-de-blasfemia 


Apoie a comunidade da Avaaz!
Nós somos totalmente sustentados por doações de indivíduos, não aceitamos financiamento de governos ou empresas. Nossa equipe dedicada garante que até as menores doações sejam bem aproveitadas:Dona Agora

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

CBN - Arnaldo Jabor - Um pesadelo repleto de tragédias

CBN - Arnaldo Jabor - Um pesadelo repleto de tragédias

REFRIGERANTE PREMIADO.

Fabricante terá de indenizar por corpo estranho em garrafa de refrigerante
Decisão é da 9ª Câmara Cível do TJRS
A 9ª Câmara Cível do TJRS manteve a condenação da VONPAR Refrescos S/A por dano moral a homem que adquiriu duas garrafas de guaraná Kuat contendo corpo estranho - possivelmente papel de bala - em seu interior. O valor da indenização foi fixado em R$ 6,6 mil, corrigidos monetariamente.
Caso
O homem ingressou com ação de indenização por danos morais contra a fabricante do guaraná Kuat alegando que comprou duas garrafas do refrigerante num bar localizado na Comarca de Antônio Prado. Depois de servir e beber um copo de refrigerante percebeu uma sujeira na garrafa.
Afirmou ter passado mal durante a noite. Indisposto, não conseguiu trabalhar no dia seguinte, ocasião em que voltou ao estabelecimento onde comprou os refrigerantes, a fim de reclamar da mercadoria. No local, o comerciante que vendeu os produtos observou a presença de um corpo estranho, semelhante a um plástico, no interior das duas garrafas: uma já aberta e a outra, lacrada.

(imagem meramente ilustrativa/arquivo TJRS)
Sentença
Em 1º Grau, a sentença foi pela procedência do pedido, sendo a empresa condenada a indenizar dano moral no valor de R$ 6,2 mil, corrigidos monetariamente. Inconformada, a VONPAR apelou ao TJRS pleiteando a reforma integral da decisão de 1ª Instância com julgamento de improcedência do pedido.
A empresa alegou não haver comprovação cabal do alegado defeito, teceu considerações a respeito do rigoroso controle de qualidade de seu processo produtivo e ressaltou a necessidade de prova do dano moral e das circunstâncias que lhe dão ensejo.
Apelação
Ao julgar o recurso, em decisão monocrática a relatora, Desembargadora Marilene Bonzanini, negou seguimento ao apelo afirmando que a sentença analisou a questão fática com acuidade, razão pela qual a endossou como razão de decidir. De acordo com a sentença acolhida pela relatora, trata-se de relação de consumo, onde a responsabilidade é objetiva, somente restando afastada nas hipóteses do § 3º, do artigo 12 do Código de Defesa do Consumidor (CDC). Assim, o que interessa à solução da lide é a constatação de que não houve violação do produto e que havia no interior o chamado corpo estranho, provavelmente embalagem de bala.
Ainda segundo a sentença, lamentavelmente é comum no seio da população o uso de garrafas (plásticas ou de vidro), assim como de latas, de recipientes para lixo, para colocação de papeis de bala, tocos de cigarro, etc. Muito provavelmente, houve vício no momento da limpeza do recipiente retornável dentro de uma de suas unidades. Nessas circunstâncias, havendo vício em um dos processos produtivos, aflora-se a responsabilidade objetiva - independente de culpa -, descabendo perquirir se houve maior ou menor constrangimento ao consumidor, abalo no estado de saúde ou, até mesmo, a necessidade de procura médica.
E prossegue a decisão de 1º Grau ao referir que "um simples papel de bala no interior de uma garrafa de refrigerante enoja, sendo fato ensejador de dano in re ipsa (presumido)". A questão envolve falta de segurança sanitária, o que também enseja responsabilidade objetiva do fabricante. Não há dúvida de que o produto (refrigerante) apresentou-se defeituoso, não oferecendo a segurança que dele legitimamente se esperava, diz o voto da Desembargadora Marilene.
Além disso, a Desembargadora destacou que cabia à empresa demonstrar alguma das excludentes de responsabilidade previstas no CDC para se eximir: não-colocação do produto no mercado, inexistência do defeito ou culpa exclusiva do consumidor ou de terceiro (art. 12, § 3º, I, II, III).
Quanto ao valor da indenização, a magistrada entendeu como justo o montante fixado na sentença. "A indenização a título de reparação de dano moral deve levar em conta não apenas a mitigação da ofensa, mas também atender a cunho de penalidade e coerção, a fim de que funcione preventivamente, evitando novas falhas administrativas". Com base nesse entendimento, em decisão monocrática, negou seguimento ao apelo.
Apelação nº 70049348394

Fonte: TJRS
Autor: Ana Cristina Rosa
Revisão e Edição: Adriana Arend
RS

terça-feira, 28 de agosto de 2012

PT CAIXA 2, 3, 4, 5....................


Pagot diz ter procurado empresas por doações à campanha de Dilma

PUBLICIDADE
BRENO COSTA
FERNANDO MELLO
DE BRASÍLIA
O ex-diretor geral do Dnit Luiz Antonio Pagot confirmou nesta terça-feira (28), em depoimento à CPI do Cachoeira, ter procurado dezenas de empresas com contratos com o órgão para que elas fizessem doações para a campanha da presidente Dilma Rousseff, em 2010.
Ele afirma que as abordagens, e as doações que se efetivaram por parte dessas empresas, foram legais. De acordo com Pagot, as contribuições não tinham relação com eventuais atos administrativos do Dnit, órgão comandado por ele.
Pagot já tinha trazido o assunto à tona em entrevista realizada antes da aprovação de sua convocação para CPI, mas agora apresentou mais detalhes.
O ex-diretor do Dnit relatou aos parlamentares ter sido procurado em 2010 pelo então tesoureiro da campanha de Dilma, José de Filippi Júnior. Ele afirma ter mostrado a Filippi uma lista de 369 empresas que tinham contrato em vigor com o Dnit à época
O tesoureiro então, segundo Pagot, pediu para que ele procurasse "30 ou 40" empresas com contratos no Dnit para que contribuíssem com a campanha de Dilma. Segundo o ex-diretor, o pedido do tesoureiro não envolvia uma conotação de achaque às empresas.
"Ele disse: não se preocupe com as maiores, que isso é assunto do comando da campanha, mas se você puder procurar umas 30, 40, peça para fazer doação na conta de campanha", relatou Pagot.
"Procurei [as empresas], e não estava praticando nenhuma irregularidade, não associei a nenhum ato administrativo no Dnit, e não estabeleci percentuais. Algumas empresas encaminharam para mim um boleto demonstrando que tinham feito a doação, legalmente, na conta de campanha. Não passaram de meia dúzia."
Alan Marques - 13.jul.11/Folhapress
O ex-diretor do Dnit (Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes) Luiz Antônio Pagot
O ex-diretor do Dnit (Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes) Luiz Antônio Pagot
FOLHA DE SÃO PAULO

BBC Brasil - Notícias - Robô faz transmissão inédita e histórica a partir de outro planeta

BBC Brasil - Notícias - Robô faz transmissão inédita e histórica a partir de outro planeta

DEGELO NO ÁRTICO.

Cientistas alertam para consequências de degelo recorde no Ártico

Atualizado em  28 de agosto, 2012 - 05:56 (Brasília) 08:56 GMT
Gelo no Ártico (Foto: BBC)
Ártico perdeu mais gelo neste ano do que em qualquer outro período desde 1979
O Ártico perdeu mais gelo marinho neste ano do que em qualquer outro período desde que registros por satélite começaram a ser feitos, em 1979, segundo a Nasa (a agência espacial americana).
Cientistas que calculam as perdas afirmam que isso é parte de uma mudança fundamental.
Além disso, o gelo marinho geralmente atinge seu ponto mais baixo em setembro, então acredita-se que o derretimento deste ano vá continuar.
Segundo a Nasa, a extensão de gelo marinho caiu de 4,17 milhões de km² em 18 de setembro de 2007 para 4,10 milhões de km² em 26 de agosto de 2012.
A cobertura de gelo marinho aumenta durante o frio dos invernos no Ártico e encolhe quando as temperaturas voltam a subir. Mas, nas últimas três décadas, satélites observaram um declínio de 13% por década no período de verão.
A espessura do gelo marinho também vem diminuindo. Sendo assim, no total o volume de gelo caiu muito – apesar de as estimativas sobre os números reais variarem.
Joey Comiso, o principal pesquisador no Goddard Space Flight Center da Nasa, disse que o recuo deste ano foi causado pelo fato do calor de anos anteriores ter reduzido o gelo perene – que é mais resistente ao derretimento.
"Diferentemente de 2007, as temperaturas altas no Ártico neste verão não foram fora do comum. Mas nós estamos perdendo o componente espesso da cobertura de gelo", disse Comiso.
"Assim, o gelo no verão fica muito vulnerável."

'Morte inevitável'

Segundo Walt Meier, do National Snow and Ice Data Center, que colabora nas medições da cobertura de gelo, "no contexto do que aconteceu nos últimos anos e ao longo dos registros de satélite, isso é um indicativo de que a cobertura de gelo marinho do Ártico está mudando fundamentalmente".
O professor Peter Wadhams, da Universidade de Cambridge, disse à BBC que "diversos cientistas que trabalham com medição de gelo marinho previram alguns anos atrás que o recuo iria se acelerar e que o verão Ártico se tornaria livre de gelo em 2015 ou 2016".
A previsão, na época considerada alarmista, agora está se tornando realidade, diz ele. E o gelo ficou tão fino que irá inevitavelmente desaparecer.
"Medições de submarinos mostraram que (a região) perdeu pelo menos 40% de sua espessura desde os anos 1980. Isso significa uma inevitável morte para a cobertura de gelo, porque o recuo de verão é agora acelerado pelo fato de que enormes áreas de água aberta permitem que tempestades gerem grandes ondas, as quais quebram o gelo restante e aceleram seu derretimento", afirmou.
"As implicações são graves: a maior área de água aberta reduz o albedo médio (refletividade) do planeta, acelerando o aquecimento global; e nós também estamos vendo a água aberta causar derretimento do permafrost (solo composto por terra, gelo e rochas congelados), liberando grandes quantidades de metano, um poderoso gás causador do efeito estufa", disse.

Ameaças e oportunidades

"As implicações são graves: a maior área de água aberta reduz o albedo médio (refletividade) do planeta, acelerando o aquecimento global; e nós também estamos vendo a água aberta causar derretimento do permafrost (solo composto por terra, gelo e rochas congelados), liberando grandes quantidades de metano, um poderoso gás causador do efeito estufa"
Prof. Peter Wadhams, da Universidade de Cambridge
As opiniões variam sobre a data da morte do gelo marinho de verão, mas as notícias mais recentes causam pessimismo.
Um recente estudo da Universidade de Reading, na Grã-Bretanha, usou técnicas estatísticas e computadores para estimar que entre 5% e 30% da perda recente de gelo se deve à Oscilação Multidecadal do Atlântico – um ciclo natural do clima que se repete a cada 65 a 80 anos. Está em uma fase quente desde meados dos anos 1970.
Mas o restante do aquecimento, estima o estudo, é causado pela atividade humana – poluição e desmatamento de florestas.
Se o gelo continuar a desaparecer no verão, haverá oportunidades, assim como ameaças.
Alguns navios já estão economizando tempo ao navegar por uma rota antes intransitável ao norte da Rússia.
Companhias de petróleo, gás e mineração estão brigando para explorar o Ártico – apesar de sofrerem forte oposição de ambientalistas. O Greenpeace tem protestado contra exploração pela gigante russa Gazprom.
Entre as muitas ameaças, o aquecimento é ruim para a vida selvagem do Ártico. Graças à influência do gelo marinho nas correntes de jato, as mudanças podem afetar o clima na Grã-Bretanha.
As mudanças – caso ocorram – poderiam abrir depósitos congelados de metano que iriam aquecer ainda mais o planeta.
Oceanos mais quentes podem levar a um maior derretimento da cobertura de gelo da Groenlândia, o que contribuiria para a elevação do nível do mar e para mudanças na salinidade do mar, que por sua vez poderiam alterar as correntes oceânicas que ajudam a controlar nosso clima.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

AR CONDICIONADO AUTOMOTIVO.

Você sabe ligar o ar condicionado do seu carro???
http://www.paccini.com.br/imagens/produtos/thumb_PC700013.jpg
Compressor de ar condicionado Palio 1.6

Bom pessoal, em tempos de frio, cabe nos a lembrar do calor. Ocorreu-me que,  numa dessas andanças minha por ai,  estive em uma empresa especialista em arrefecimento (sistema de refrigeração do motor do carro) e ar condicionado.

Conversa vai, conversa vem, eis que o gerente da empresa me pergunta.

- Você sabe que você não pode ligar o ar condicionado do seu carro em alta velocidade?

Respondi:
- Não, não sei nada sobre isso...

Tendo questionado isso, ele ainda complementa:
-Além disso, você não encontra essa recomendação no manual do veículo, nenhum vendedor de automóvel lhe orienta sobre isso mas, talvez nem saibam, mas, você não deve ligar  ar condicionado do carro em alta velocidade.

Eu, surpreso o interrogo.
- Mas porque?!?!?!

Responde ele.
- Veja bem, o compressor possui um recurso de acionamento muito similar a uma embreagem de um carro. Quando você aperta o botão do ar condicionado, essa "embreagem" aciona o compressor do ar condicionado instaneamente. Se você estiver com o seu carro em 3.000 ou 4.000 rpms, você irá dar um "tranco" violento no sistema todo e irá danificando o compressor.

Bom, nesse momento fiquei estasiado e um pouco incrédulo. Percebendo minha surpresa com a informação e também minha curiosidade, ele foi ao estoque da empresa e pegou um compressor de ar exatamente o compressor de ar que que é usado  no meu carro e me mostrou com precisão o que ocorre quando você aciona o ar condicionado.

Fiquei impressionado ao ver o sistema do compressor, como ele funciona e como é o acionamento do mesmo. Realmente, se você inciar o ar condicionado em alto giro o sistema todo irá ser submetido a uma arrancada violentíssima o que causa o dano ao sistema.
Imagine o compressor parado, o motor funcionando a 3.000 rpm e você inicia o ar. Ele é tirado do estado estacionário em um Instante e passa a funcionar na velocidade do giro do motor!!! É aí que está o grande problema.


Questionei então, devo fazer para ligar o ar condicionado se eu estiver em uma auto estrada e o calor estiver insuportável. Paro o carro e ligo o ar?
Ele recomendou que se estiver em uma auto estrada ou em qualquer condição onde o motor estiver em alto giro, para iniciar o ar condicionado, deve-se colocar o pé na embreagem, ou deixar o carro em "ponto morto" para o giro cair e aí sim, iniciar o ar condicionado. Dessa maneira você consegue preservar o equipamento de ar condicionado e melhorar sua longevidade.

Interessante não?
Vivendo e aprendendo.

RECLAMAÇÕES

Consumidores descrevem luta para ter reclamação atendida no Brasil

Atualizado em  27 de agosto, 2012 - 06:30 (Brasília) 09:30 GMT
Dicezar Leandro | Foto: BBC
Diretor de arte usou Código do Consumidor para resolver problema com aparelho de som
Horas intermináveis ao telefone com atendentes, idas e vindas a assistências técnicas e muita paciência. São cenas conhecidas de muitos consumidores brasileiros, acostumados a gargalos de atendimento para tentar resolver problemas. Mas o conhecimento da lei que os ampara pode ser decisivo.
O diretor de arte em cinema Dicezar Leandro, de 35 anos, diz que conhecer e usar o Código de Defesa do Consumidor foi algo crucial para resolver um problema recente que teve com um aparelho de som.
Comprado em uma grande rede varejista, o aparelho apresentou defeito no leitor de CD logo no primeiro mês após a compra. Ao entrar em contato com a loja, recebeu orientação de se dirigir à assistência técnica autorizada.
Dez dias depois o produto foi reparado, ainda dentro da garantia, e em menos de um mês apresentou o mesmo defeito, levando Leandro a procurar o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) do fabricante.
"O processo era muito demorado, a cada atendente era preciso repetir toda a história, e me chamou a atenção a impossibilidade deles de resolverem o problema de forma concreta e satisfatória", diz Leandro.
Em novo contato com o SAC, a empresa ofereceu-lhe um novo produto, mas de qualidade inferior, já que o modelo do aparelho não era mais fabricado. O diretor de arte solicitou então um período estendido de mais seis meses de garantia, que foi concedido. Mas dentro desses meio ano, o aparelho voltou a apresentar o mesmo problema, pela terceira vez.

Lei

Insatisfeito, Leandro escreveu uma carta selecionando todos os artigos do Código do Consumidor que se aplicavam ao seu caso e exigiu que o fabricante devolvesse o dinheiro pago pelo produto.

Código de Defesa do Consumidor

Promulgada em 11 de setembro de 1990, a Lei Nº 8.078 estabeleceu o Código de Defesa do Consumidor, com sete capítulos que versam sobre as relações de consumo nas esferas: 1) civil, definindo as responsabilidades e os mecanismos para a reparação de danos causados; 2) administrativa, definindo os mecanismos para o poder público atuar nas relações de consumo; e 3) penal, estabelecendo novos tipos de crimes e as punições para estes.
Vinte e dois anos após a sua criação, a legislação ainda é claramente desconhecida por grande parte dos consumidores e desrespeitada por muitas empresas e prestadoras de serviços.
A lei diz prezar pela "harmonização dos interesses dos participantes das relações de consumo e compatibilização da proteção do consumidor com a necessidade de desenvolvimento econômico e tecnológico (...) sempre com base na boa-fé e equilíbrio nas relações entre consumidores e fornecedores".
Fonte: Procon-SP
"Deixei claro que não havia mais outra opção. Informei meus dados bancários e exigi que fosse depositado em minha conta corrente o valor pago pelo aparelho acrescido de juros e correção monetária. Dias depois, recebi o dinheiro e entreguei o produto na assistência técnica, como tinham me pedido", conta.
"Usei a lei para fazer valer meus direitos. Certamente na visão deles seria muito mais dispendioso arcar com o processo judicial do que me ressarcir", diz.
Buscar amparo na legislação garantiu a ele a solução do problema sem auxílio de entidades como o Procon, embora o diretor de arte julgue que a presença do Estado seja "imprescindível".
Na visão de Maria Inês Dolci, coordenadora da associação de consumidores ProTeste, um dos principais problemas atualmente é a falta de uma "educação para o consumo".
"Esperamos que esse novo momento da economia brasileira seja aproveitado para que aperfeiçoemos as relações de consumo no país", avalia.
O diretor do Procon de São Paulo, Paulo Arthur Góes, alerta para a necessidade de difundir as leis de proteção ao consumidor e diz que muitas vezes as demandas se relacionam a assuntos básicos.
"Grande parte das reclamações de consumidores diz respeito a informações básicas que deveriam ser esclarecidas pelas empresas e prestadoras de serviços", diz.

Garantia

A médica Renata Suzuki Brondi, de 29 anos, ainda aguarda uma solução para o seu caso.
Ela comprou um smartphone como parte de um plano familiar na loja de uma operadora em um shopping de São Paulo, em abril de 2011.
O aparelho tinha um ano de garantia, e em janeiro de 2012 apresentou defeito em um botão imprescindível para seu funcionamento. A cliente recebeu, na loja, a orientação de que poderia receber um novo telefone.
Entre janeiro e março, por dois meses, foi à loja praticamente todas as semanas, até que no último mês da garantia, em março de 2012, recebeu o produto.
Em julho de 2012, o novo aparelho também parou de funcionar. Ela voltou à loja e foi comunicada de que a garantia não estava mais válida e de que a operadora não tinha responsabilidade.
De acordo com a ONG de auxílio ao consumidor, a informação contraria o Código de Defesa do Consumidor.

Busca por solução

Orientada a procurar a assistência técnica autorizada da fabricante do smartphone no Brasil, entrou em contato e foi informada de que o único procedimento possível era pagar uma taxa de R$ 449, que não seria devolvida e dizia respeito à solução do problema.
Tanto para um conserto como para receber um aparelho novo, ela teria que pagar a taxa e enviar o telefone com defeito pelo correio.
"Achei muito estranho eles não abrirem o aparelho, não passarem um orçamento, nada", conta a médica. "Senti falta de poder conversar com alguém, explicar o problema e ter um retorno."
Renata procurou então a ONG de direitos do consumidor ProTeste, entregou o aparelho e todos os documentos.
A entidade disse ter enviado um comunicado pedindo solução do caso à operadora, mas o assunto ainda está pendente e, se não receber resposta ou uma solução satisfatória, só restará à médica a opção de entrar com uma ação na Justiça.
O maior problema de funcionamento problemático de eletrônicos e eletrodomésticos está na péssima qualidade. Quase tudo é fabricado na China, e a qualidade deixa a desejar, um lixo.

APPLE


Apple se torna a maior empresa do mundo

Atualizado em  20 de agosto, 2012 - 14:21 (Brasília) 17:21 GMT
A gigante de tecnologia Apple se tornou a maior empresa do mundo em valor de mercado - US$ 620 bilhões (R$ 1,2 trilhão) segundo o índice Dow Jones, da bolsa de valores de Nova York.
A elevação de seu valor de mercado se deve a produtos como o "i-Phone", o "i-Pad" e "i-Pod".
Segundo analistas, parte da alta também se baseia na expectativa de vendas recordes dos novos modelos de telefone e tablet que ainda devem ser lançados.
BBC BRASIL